Posts

dezembro 18, 2023

Tecnologia

Inspeção visual: a realidade vs. o ideal


A inspeção visual consiste em encontrar produtos defeituosos e removê-los do processo de produção. Podemos realizar inspeção visual manualmente ou automaticamente com sistemas de câmeras. Muitas empresas utilizam a inspeção visual automática por diferentes motivos, normalmente para reduzir custos, melhorar a detecção, aumentar o rendimento da produção, atender às demandas do mercado ou até mesmo melhorar a reputação da marca.

O ideal

A ideia dos sistemas de inspeção e classificação é classificar os produtos de forma não ambígua em grupos, de acordo com os requisitos de classificação.

Idealmente, os sistemas de inspeção são uma combinação de hardware e software totalmente ajustáveis que podem ser configurados para lidar com todos os tipos de produtos e para detectar e eliminar todos os tipos de defeitos visuais. Na produção farmacêutica existem muitos tipos de defeitos (comprimidos, cápsulas, cápsulas gelatinosas, frascos, seringas…) e cada produto tem uma aparência própria, com defeitos visuais únicos.

Além disso, os requisitos para a classificação dos defeitos visuais não são padronizados pela indústria. Por exemplo, uma determinada variação de cor do produto pode ser um defeito para uma empresa, mas não para uma empresa semelhante do outro lado da rua.

Para atender aos requisitos do usuário, os sistemas de inspeção geralmente têm muitos parâmetros para definir, o que traz um alto risco de operação abaixo do ideal ou inadequada. Por esse motivo, tais sistemas de inspeção complexos devem ser projetados de forma a ocultar a complexidade e tornar a tecnologia fácil de usar, mesmo para não especialistas. Sistemas de inspeção perfeitamente projetados são ajustáveis para diferentes produtos e tipos de defeitos (flexíveis), capazes de detectar defeitos com precisão (sensíveis) e, por último, mas não menos importante, inteligentes para distinguir corretamente defeitos de desvios aceitáveis (seletivos).

Esperar alcançar a mais alta sensibilidade e seletividade ao mesmo tempo é onde o ideal encontra a realidade.

A realidade

Lembra como é irritante quando uma máquina não funciona tão bem quanto você esperava?

Os dois motivos mais comuns do desapontamento na tecnologia de inspeção são expectativas irrealistas de sensibilidade, ou seja, a capacidade de detectar defeitos, e seletividade, que é uma palavra elegante para a capacidade de ter uma baixa taxa de rejeição de bons produtos.

O equívoco mais comum é que instalar um sistema com câmera de alta resolução torna a inspeção supersensível e seletiva. Contudo, a sensibilidade do sistema de inspeção depende de muitos parâmetros que nem sempre são óbvios. O parâmetro ótico não é apenas a resolução, mas também o ruído da câmera, a homogeneidade da luz, a distorção da lente e assim por diante. Além disso, existem mais do que apenas parâmetros óticos nos sistemas de inspeção visual. A estabilidade, a repetibilidade do manuseio mecânico do produto e a análise correta da imagem são igualmente importantes.

Um projeto defeituoso ou imperfeito em apenas um dos segmentos do sistema de inspeção pode levar a uma maior incerteza de medição e, portanto, a taxas de detecção mais baixas e aumentar a taxa de rejeição de bons produtos. Além disso, a taxa de rejeição é um compromisso entre a sensibilidade e a suscetibilidade a erros, a seletividade. E já que a rejeição significa perda direta de negócios, ela é questionada diariamente nos processos produtivos.

Somente quando tentamos otimizar o processo produtivo reconhecemos o verdadeiro valor do sistema de inspeção escolhido.

 


Similar posts

php
As empresas farmacêuticas estão investindo cada vez mais em máquinas automatizadas de inspeção e classificação visuais, a fim
php
Quando o rótulo de um pote diz “100 comprimidos”, presumimos que há 100 comprimidos dentro, não é? Não
php
Eu ainda estava em pesquisa e desenvolvimento quando um cliente nos procurou com uma cápsula farmacêutica especial. Muito
Share this article: